Bandeira da amizade

Terreiro de Umbanda Luz, Amor e Paz – TULAP é o primeiro terreiro a receber a Bandeira da Amizade nesta sexta-feira, dia 10

O terreiro Terreiro de Umbanda Luz, Amor e Paz (TULAP), Cabana do Pai Tobias de Guiné é o primeiro terreiro a receber, nesta sexta-feira (10), a primeiras das três “Bandeira da Amizade” que vão circular para divulgar o movimento.

Essa é uma iniciativa do Terreiro do Pai Maneco (TPM), que tem como objetivo mapear e identificar os terreiros de Umbanda que trabalham nos princípios da cultura da paz e na caridade.

O Pai Jussaro de Ogum do TPM irá levar a bandeira no TULAP, na gira de Preto Velho, que acontece na sede que fica na Rua José Fernandes Maldonado, 255 – Bairro Alto, em Curitiba.

O Pai Caetano de Oxóssi, dirigente espiritual do TULAP, disse que é uma grande honra receber a bandeira da amizade e depois encaminha-la para outro terreiro.

“A bandeira da amizade é uma materialização da nossa bandeira de Oxalá. Cantamos no hino de Umbanda pedindo que a bandeira de Oxalá cubra o mundo. A mãe Lucilia e o TPM fizeram com que isso se materializasse”, comentou o Pai Caetano.

Ele também elogiou o movimento. Uma linda iniciativa fazendo uma bandeira de solidariedade percorrer os terreiros promotores da paz. Ou seja, fazendo a bandeira de Oxalá percorrer a nossa Umbanda. Parabéns ao TPM pela lição de amor e paz. ”

A Mãe Lucilia de Iemanjá, diretora espiritual do TPM, explicou que as bandeiras da amizade têm como objetivo estender a amizade a todos os grupos umbandistas que compartilham nossos princípios e também o de mapear os terreiros que trabalham na caridade, de não cobrar por trabalhos ou consultas; não fazer sacrifícios de animais e não fazer qualquer discriminação de opção religiosa, de raça ou orientação sexual.

“São três bandeiras que foram imantadas pelas entidades e que vão percorrer, com a finalidade de mostrar e selar a amizade entre os terreiros que trabalham com a caridade”, contou ela.

 

Serviço:

Rua José Fernandes Maldonado, 255 – Bairro Alto – Curitiba – PR

paitobias.com/tulap/

www.facebook.com/paitobias/

4 comments

  1. Tive a felicidade de compartilhar desse momento de entrega de bandeira e foi muito gratificante e especial pelo fato de poder sentir a energia de amor e respeito que se fez presente esse ato, a impressão que tive é que foi o passo que faltava para podermos exercer o que a umbanda nos ensina que é o amor e união, amor a todos nossos irmãos independente do Terreiro que está frequentado, união para fortalecer a corrente de fé e ajuda mútua. Meu muito obrigada , aos mentores que intuíram, a mãe Lucilia que escutou e pôs em pratica a ação a mãe Denise que me deu a aportunidade de poder presenciar e sentir o poder do grande passo , ao Terreiro que nos recebeu com muito amor e com o propósito de levar adiante a linda bandeira…

  2. A importância em disseminar os princípios e fundamentos que norteiam o terreiro do pai Maneco na entrega dá bandeira da amizade realizada o dia 13/03 no TUCO, na qual honrosamente fui convidada a participar pela minha mãe de santo dirigente da gira de sábado mãe Denise Zanchetta foi indescritível. Demonstrar que a umbanda do TPM é uma corrente de ferro e de aço onde os elos da fé tendem nos unir em prol de uma só voz: praticar a umbanda não só dentro da casa que​ trabalhamos e sim que se faça percorrer onde haja o amor, a caridade e o respeito. Combatendo todo e qualquer tipo de intolerância religiosa o TPM visa demonstrar e pregar como disse SEO Kariri no TUCO: “independente do tamanho da casa, do número de médiuns, a espiritualidade e a energia da qual é composta o trabalho que está sendo dirigido com FORÇA e FÉ em cada gira desenvolvida é a essência dá umbanda.” Que a bandeira da amizade percorra todos os cantos do PR pregando o que a mãe Lucília Guimarães e todos os dirigentes dá casa do TPM visam: amor e união. Saravá.
    Thatiana Nicollelli Berbert

  3. Linda iniciativa nesse mundo marcado por tanta intolerância e preconceito. Já está mais que na hora de mino rias se unirem contra os desmandos desses grupos desumanos e intolerantes e mostrar até a cultura da paz é possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *