Bandeira da amizade

TERREIRO DE UMBANDA LUZ, AMOR E PAZ – TULAP, CABANA DO PAI TOBIAS DE GUINÉ

O Terreiro de Umbanda Luz, Amor e Paz – TULAP, Cabana do Pai Tobias de Guiné, nasceu junto a feitura do Pai de santo Caetano de Oxossi em 21 de julho de 2005.

Pai Caetano era membro da corrente do Terreiro do Pai Maneco por quase cinco anos, e depois desse período o Pai Junior de Yemanjá realizou a feitura de pai de santo, inaugurando o TULAP.

Nasceu com o ideal de manter uma Umbanda pautada no amor e na simplicidade como Pai Fernando Guimarães sempre dizia, uma Umbanda Pés no Chão. Desde o momento de sua inauguração pauta todas as suas ações, fundamentos e trabalhos na caridade. Pautando a vida do terreiro e dos médiuns com os seguintes fundamentos:

 

Em resumo e como fonte de todos os demais princípios, e pai e mãe dos ensinamentos, regras, trabalhos e atividades, de nossa casa temos o seguinte diálogo entre os apóstolos e Jesus Cristo, (que é a grande Lei do nosso Terreiro):

 

Mestre, qual é o grande mandamento na lei?
E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.
Este é o primeiro e grande mandamento.
E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.
Jesus Cristo em Mateus 22:36-40

 

Portanto a CARIDADE,  a compaixão – são a lei máxima de nossa casa. A partir desta podemos inferir as seguintes diretrizes:

– A gratuidade de todos os atendimentos e trabalhos

(Curem os enfermos, ressuscitem os mortos, purifiquem os leprosos, expulsem os demônios. Vocês receberam de graça deem também de graça. Mateus 10:8);

– A crença em um único Deus (Umbanda é monoteísta);

– A crença nos Orixás como emanações (ou as qualidades) do próprio Criador;

– Na crença  na vida após a morte, na vida espiritual e nas sucessivas encarnações (crê-se nas reencarnações) e que a liberdade verdadeira, e a felicidade verdadeira só serão alcançadas quando encerrarmos o ciclo de reencarnações;

– Que os espíritos podem se comunicar com o mundo material por meio dos encarnados no fenômeno natural conhecido como mediunidade;

– Que a mediunidade não é um Dom divino e sim uma faculdade que devemos zelar, proteger e desenvolver para dela fazermos a vontade do Pai;

– Que os Orixás por serem a própria manifestação e essência divina não podem se manifestar diretamente nos terreiros de Umbanda. Assim o fazem por meio de espíritos de luz, os chamados guias, que se apresentam em formas, em roupagens fluídicas que denominamos forma-apresentação, como os caboclos, os exus, os pretos-velhos, as crianças e os baianos;

– A lei de ação e reação ou lei kármica;

– Um ritual como forma de disciplina, união e orientação;

– Que a Umbanda é uma religião mediúnica e alquímica (ou magística);

– A não utilização de sangue de animais ou o uso de sacrifício ou imolação animal, bem como a não utilização de peças ou partes de qualquer animal;

– Não é realizado nenhum trabalho para o prejuízo de alguém, ou seja não se faz e não se compactua com o mal; Não aceita-se e assim muito menos se pratica qualquer ato que produza, mesmo que indiretamente, o mal. Desta forma não são praticados atos que burlem, interrompam ou desviam a lei de ação e reação, tais como amarrações, prejuízos a outrem, ou punição a inimigos;

– Recepção com amor a todos, sem qualquer preconceito ou discriminação, seja pela condição social, condição financeira, pela cor da pele, ou pela raça, pelo sexo ou pela orientação sexual ou pela religião;

– a busca constante do conhecimento para aprofundar a fé por meio da razão;

– a busca pelas raízes formadoras da Umbanda, e sua valorização;

– trabalhar para que a Umbanda seja revelada como a manifestação do espírito para a caridade como afirmou o Caboclo das 7 Encruzilhadas, caboclo anunciador da Umbanda.

2 comments

  1. Pai Caetano um exemplo a ser seguido dentro e fora da umbanda. Obrigado Pai Caetano pelo carinho que dedica a seus filhos, obrigado… obrigado… obrigado…

  2. Lá nos idos de 2012 / 2013 pude participar em algumas giras da corrente do Pai Caetano.
    Que energia maravilhosa! Saravá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *